Reinaldo Figueiredo, nascido em 23 de outubro de 1976, em Belo Horizonte/MG, é guitarrista e violonista profissional atuando como freelancer, além de professor de guitarra, violão e teoria musical.

O início

Embora o interesse de Reinaldo de tocar profissionalmente tenha surgido apenas na adolescência, seu interesse pela música foi despertado na infância, graças à música clássica, que ouvia devido à coleção de discos do estilo possuída por sua mãe. O músico ainda cita os tocantes Bach, e especialmente Vivaldi, como seus primeiros artistas favoritos.

Seu primeiro contato com a atividade musical se deu aos nove anos de idade, quando começou a ter aulas de violão popular, mas estas não duraram muito. Aos 12 anos, voltou a tocar, novamente iniciando pelo violão – com um instrumento emprestado por uma tia – mas desta vez como autodidata, e a música seguiu como um hobby até os 15 anos.

Aos 16 anos, à época da inevitável escolha de futuro profissional, Reinaldo se viu dividido entre a carreira acadêmica de Físico e a carreira artística. Em uma decisão difícil, acabou optando pela música, enfrentando obviamente as duras consequências e dificuldades inerentes à profissão. Junto com a decisão veio seu começo com a guitarra elétrica, graças a um instrumento caseiro dado pelo pai, à ajuda da mesma tia que lhe havia emprestado o violão e ao dinheiro destinado ao lanche da escola, que Reinaldo acabou utilizando para comprar seus primeiros métodos.

A formação

Ciente da dificuldade de se ter a música como única profissão, Reinaldo procurou desde o início de sua recém-escolhida carreira obter uma educação musical diferenciada, no sentido de buscar a melhor perícia possível nos assuntos relevantes e – não menos importante – obter uma educação indiferente a estilos ou rótulos, um valor que conserva até hoje em suas atividades, tanto quanto músico performista quanto educador musical.

No início, o músico passou por vários vários professores, de vários estilos, chegando a estudar também violão clássico, mas acabando a optar por se dedicar exclusivamente à guitarra. Em 1995, conheceu Edworny A. Assis, seu professor mais duradouro, com quem estudou até o final de 1997, que também se tornou seu amigo.

Dedicado a obter a melhor educação que as oportunidades lhe permitiam, Reinaldo aprendeu com grandes nomes: sua lista de professores contém os renomados guitarristas de rock/metal brasileiros Edu Ardanuy (Dr. Sin), Kiko Loureiro (Angra/Solo), Rafael Bittencourt (Angra/Bittencourt Project), Andreas Kisser (Sepultura), o falecido Wander Taffo (Rádio Táxi/Secos e Molhados), o guitarrista de jazz Tomati (Sexteto Jô Soares), os renomados Marty Friedman (Megadeth), e Paul Gilbert (Racer X/Mr. Big) e o pianista Ian Guest – referência máxima no ensimo de música brasileira -, com quem Figueiredo estudou harmonia, arranjo, música modal, composição e percepção musical.

Reinaldo também se interessa por música étnica, tendo participado em 2000 do Encontro Internacional de Etnomusicologia, realizado na UFMG – onde vivenciou experiências musicais de tribos de índios brasileiros e africanos -, e do Encontro de Música Clássica Indiana, também na UFMG, entre outros eventos. Fez aulas particulares de Bansuri (flauta indiana) e Música Clássica Indiana com com Helder Araújo – considerado um dos melhores sitaristas do país -, com quem dividiu palcos posteriormente.

Recentemente, Figueiredo se tornou practitioner da Programação Neurolinguística (PNL), buscando aperfeiçoar seus métodos didáticos através de uma melhor utilização da linguagem.

A carreira

Reinaldo sempre esteve envolvido em algum projeto musical desde que começou a tocar, tendo integrado diversas bandas de garagem. Foi integrante também de variadas formações instrumentais, como duo de guitarras, duo violão e voz, duo guitarra e violino, entre outras. Participou de diversas gravações de CDs, ora como músico convidado, ora como músico contratado. Das bandas de destaque, podemos citar: Thespian (heavy metal autoral com cd gravado pela Cogumelo Records e aberturas de 6 shows internacionais: Stratovarius, Angra, Dio, Edguy, Hammerfall e Dr. Sin); Seawalker (heavy metal autoral); Guilly Castro (intérprete de Elvis Presley); Grupo Jhala (que faz uma interessante mistura de música árabe e indiana com rock integrada também por músicos da Transfônica Orkestra de Marcus Viana com quem gravou a trilha sonora da novela O Clone) e Pink Floyd Reunion (cover de Pink Floyd que prima pela semelhança de timbres e sonoridades com a banda original).

Como educador musical, Figueiredo foi professor de diversas escolas de Belo Horizonte e região, tendo atualmente cerca de 20 anos de experiência na atividade. Atualmente, não é vinculado a nenhuma instituição, tendo montado sua própria infraestrutura para a realização de suas aulas, se utilizando de material didático selecionado e testado ao longo dos anos, além de possuir estrutura física dedicada exclusivamente para este fim, contando com todos os equipamentos necessários à realização das aulas.

Frequentemente seus alunos e ex-alunos fazem questão de exaltar publicamente sua qualidade como professor, e devido à reputação difundida, ao profissionalismo impecável e à evidente habilidade musical, Reinaldo Figueiredo é considerado um dos principais professores de Belo Horizonte.